O ex-senador Osmar Dias (PDT) afirmou nesta segunda-feira, 19, que já colocou seu nome à “disposição da população” para a disputa do do Governo do Estado em 2018. O pedetista também adiantou que vai percorrer o Paraná e avaliar as pesquisas no próximo ano. “A população que tem que manifestar se deseja a minha volta à política ou se não deseja. Eu coloco o nome à disposição porque acho que estou preparado para assumir este desafio”, disse Osmar Dias que recebeu em Curitiba a comenda da Ordem do Pinheiro.

“Se a população entender que estou pronto, colocarei em prática no Paraná um modelo diferente de gestão, um modelo diferente de governar. Não estou aqui tecendo criticas a ninguém, apenas dizendo que tenho uma forma de ver a política que diferencie um pouco daquilo que está acontecendo no cenário nacional”, completou.

Não é possível que os políticos, disse Osmar Dias, continuem sendo tão desrespeitados e fazer ser desrespeitado. “Eles construíram essa falta de credibilidade. Não é possível tanta roubalheira, tanta corrupção enquanto milhares de pessoas passam dificuldades no País. É a hora da união das pessoas de bem, independente de partido ou ideologia, para que a gente possa reconstruir o Brasil”.

Crise política – Para o ex-senador, a crise nacional afeta todos os estados igualmente e que para sair dela é necessário “primeiro resolver esta crise política. Não dá para enfrentar uma crise econômica com os políticos e instituições tão desrespeitadas, faltando confiança da população. Eu acho que é construção dessa confiança é que vai nos levar efetivamente na reconstrução do país economicamente”.

Osmar Dias disse, que mesmo nesta conjuntura, o Paraná se diferenciou dos demais estados. “O Paraná está sofrendo um menor impacto da crise nacional. Eu acho que é obrigação minha nesse momento de dificuldade, colocar o nome à disposição e lá na frente decidir junto com a população qual o melhor caminho a seguir”.

O pedetista evitou falar sobre as alianças e dos convites que recebeu do PSB, DEM e PMDB. “A grande aliança tem que ser feita com a população. Se a população entender que reúno capacidade, estou preparado para estes desafios. Essa é a grande aliança que pretendo fazer”, desconversou.

(foto: Orlando Kissner/ANPr)