Os deputados estaduais aprovaram ontem, em segundo turno, a Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2017, que estabelece uma receita corrente líquida de R$ 56 bilhões. O texto, também oficializando a suspensão, por tempo indeterminado, da reposição inflacionária de 300 mil servidores públicos, entre ativos e aposentados, seguiu no mesmo dia para sanção do governador Beto Richa (PSDB). Foram 38 votos favoráveis e quatro contrários, de Péricles de Mello (PT), Tadeu Veneri (PT), Requião Filho (PMDB) e Professor Lemos (PT).

Com a finalização da votação da LOA, a Assembleia Legislativa encerrou os trabalhos em 2016. Agora, os parlamentares só voltam a se reunir em plenário no dia 1º de fevereiro do próximo ano, para a posse da nova Mesa Executiva. O presidente da Casa, Ademar Traiano (PSDB), reeleito para o biênio 2017/2018, informou que serão concedidas férias coletivas a todos os funcionários do Parlamento de amanhã até 17 de janeiro. No início do próximo mês, os setores administrativos trabalharão em sistema de plantão para atender a eventuais demandas.

O deputado Luiz Claudio Romanelli, líder do governo, destacou a importância do orçamento, além do equilíbrio fiscal que o Paraná vive. “Tenho muito respeito pela oposição, mas tenho de reconhecer que a nossa aqui sistematicamente insiste em olhar para o próprio umbigo e não para o que acontece no nosso País. O Paraná hoje é uma exceção. O Estado está com as contas equilibradas, num momento muito difícil da economia. É um orçamento importante, com uma previsão de investimentos na ordem de R$ 6 bilhões, valor significativo”, rebateu o líder da situação, Luiz Cláudio Romanelli (PSB). Assim como ele, Traiano voltou a comparar a situação do Paraná com a vivida pelas demais unidades da federação. “Enquanto a maioria dos estados não paga salários, aqui se paga em dia.”

(foto: Pedro de Oliveira/ALEP)